7 de dez de 2013

Por que ciclovias?



Deixa pra lá, nem é importante. Tlvz os próximos governantes vejam. Ou não. Mas quem se importa?


Não consigo entender a congruência de um governo que prega desenvolvimento sustentável e mobilidade urbana mas continua ignorando ciclovias e incentivando o comércio e uso incontrolável de automóveis.


Não dá pra compreender um país com tamanha extensão territorial que deixa de investir em ferrovias e transporte ferroviário e continua fomentado o transporte rodoviário, que segue matando como nunca, poluindo, retardando o desenvolvimento e gerando cada vez mais ônus à própria sociedade.


Subdesenvolvimento e mediocridade, é o que temos pra hoje. Pro ano, pra década.

24 de nov de 2013

Um olhar, um suspiro

Você se pega assim meio desnorteado.
Sem direção, sem referência, sem qualquer bússula.
E não se enquadra mais nos moldes de antes,
na forma pré-definida de si mesmo. Porque você já não é mais o mesmo.
E percebe que seu acordar é diferente,
Seu levantar é diferente, seu respirar é diferente.

Respirar? Ahh, respirar...
pausadamente, e num movimento de profundidade, respirar.
Como se fosse seu último fôlego de vida... respirar.
Com tamanha intensidade, e com espantosa frequência,
que fica quase impossível de disfarçar.

E de praxe o mundo gira, mas aqui não gira igual.
A vida segue, porém aqui ela vai além disso:
Ela segue com uma gama de incríveis sentimentos e sensações
apensados de maneira nunca antes vista, onírica, esplendorosa.
Sensações que trazem cor e significado
aos mais minuciosos detalhes de uma rotina cinza, monocromática e estável.

Olhos cativos, sorrisos bobos, expressão despretensiosa que denuncia.
Denuncia que o que era antes já não é mais,
Antes, deu lugar ao que não era,
sendo feito novo, num ressurgimento platônico
daquilo que de mais lindo pode acontecer:
Um olhar. Um suspiro. O Amor.


Chegamos aos 10.000


10.000 km alcançados nesta madrugada com meu HB20. Farei a primeira revisão nos próximos dias. Nesses 8 meses de uso, nenhuma vez precisei recorrer à mecânica. Nenhum problema.

Muito feliz!

6 de out de 2013

Skillet no Brasil, 2013!

Sexta, 04 de outubro de 2013. Essa foi a data da primeira apresentação do Skillet em SP, na primeira vinda da banda ao Brasil. O Show ocorreu britânicamente às 20hs no Carioca Club, que ficou lotada com os fãs e admiradores de um bom rock gospel.

Na moral, foi um dos melhores shows que já fui (senão o melhor), embora acho que deveria ter durado mais (uma hora e meia de show) huahauhauha.

Já espero pelo retorno, e fica a campanha #SkilletinBrazil2014

http://www.youtube.com/watch?v=gS9AugHWOsA






5 de out de 2013

São Paulo: a garoa que me conquistou

Estive em São Paulo/SP entre 01 e 05/10/2013. Foram dias chuvosos, quase não vi a luz do sol naquela cidade, mas foi muito bacana. A tradicional "garoa" deu o ar da graça intensamente. Me surpreendi muito com os lugares visitados: Parque Ibirapuera, 25 de março, Mercadão Municipal, Largo São Francisco, Catedral da Sé, Av. Paulista, o metrô, as Comunidades, Shoppings, Centro Histórico e outros. Enfim, foi uma ótima experiência com meus amigos Janaína e Nícolas, e espero em breve voltar àquela terrinha boa (corrida, frenética, engarrafada, mas boa rs).










10 de set de 2013

Buenos Aires - uma cidade romântica

Estive em Buenos Aires entre 02/09 e 09/09 de 2013. Foi uma experiência incrível. Desde as 30hs dentro do micro-ônibus (para ida, e depois para volta),  até as looongas caminhadas pelas ruas e avenidas portenhas; as bancas de flores pelas ruas; a ousadia dos dançarinos de tango pelas vias turísticas; o divino por do sol no Porto Madero; os deliciosos alfajores e doces de leite; os prédios históricos, a limpeza urbana e a atmosfera européia. Tudo fascina e encanta. Recomendo muito, e quero voltar em breve!










29 de ago de 2013

O adeus a Loanda

Chegou ao fim o ciclo Loanda. Após 1 ano e 1 mês respirando os ares rurais do extremo noroeste paranaense, eis que a decisão foi tomada: Weslley agora é definitivamente servidor da APS Astorga (o processo de remoção se iniciou em dezembro de 2012, época em que eu me inscrevi para ser removido).

Sinceramente, eu não queria ir agora. Eu já sabia que isso ia acontecer, uma vez que eu fui o único candidato homologado no processo de remoção; mas esperava ao menos terminar o ano de 2013 na APS Loanda, principalmente pelas circunstâncias específicas da agência local, como servidores cedidos, viajando ou de férias, e a demanda local aumentar a cada dia. Mas não deu pra segurar mais, e tive que deixar esse povo bacana que trabalha e mora lá.

Esse ano que passei longe de Maringá foi alucinante. Ficaria horas contando tudo que passei lá [e ainda omitiria muuitas coisas rs]. Cada dia estressante [ou não] no trabalho, cada saída com o pessoal do serviço, no Crusco's Espetinhos, Pizzaria Bora Bora, festinhas na casa da Denise rs, etc, e claro, nossos passeios memoráveis no Porto Rico *-*. Ainda, os cultos na Ig. Avivamento Bíblico e o pessoal massa de lá, com nossas idas ao cachorrão da Martinha, os xurras na igreja e na minha casa #SobradoVerde, o memorável acampa de Terra Rica, as duas edições da Noite da Nutella, e tantas outras coisas. A natação, o pilates e as corridas no Centro Social também completaram positivamente meus dias.

O que dizer da busca incessante pelo por-do-sol? Vários cliques em Loanda, Santa Isabel do Ivaí, Porto Rico, Santa Cruz de Monte Castelo, São Pedro do Paraná. A sensação de liberdade era incrível! Era só pegar o carro, seguir pela rodovia, e buscar um lugar legal. Preferencialmente deserto. Acompanhado [rs] ou não. Em cinco minutos já saía da cidade, sem trânsito, sem problemas, sem burocracia. Ahhhh :)

Quantas sensações diferentes nesta cidade! Momentos de alegria, de liberdade.. outros de raiva e saudosismo. Amor. Paz. Descobertas. Solidão muitíssimas vezes, aos fins de semana, principalmente... mas não quero me deter nos sentimentos negativos. Poderia citar os perrengues passados nos primeiros meses, quando vínhamos de ônibus ou de carona. Mas, na real, foi engraçado. Hoje dou risada, e lembro sem pesar. Poderia também ter me esforçado mais em muitas coisas. Mas, enfim, aconteceu como aconteceu. O melhor de tudo lá, foi que eu me permiti ser feliz, ser eu mesmo [ou buscar pelo meu eu-mesmo], sem barreiras, sem limitações, sem medo das críticas, da pressão social, do olhar atento dos conhecidos, que esperam sempre pelos nossos erros ou acertos. Não me preocupei, apenas. 

Mas é isso. Me despeço assim daqueles ares rurais (nessa parte, vai um "Viva!" rs), daquele cheiro de sítio que vinha muitas vezes pela janela, daquele povo simples e provinciano, daquele trânsito pacífico e muitas vezes ausente, daqueles belos cenários para ver o sol se por, de amigos que levarei pra sempre em meu coração, de pessoas que me marcaram pra toda a vida... posso dizer que foi intensamente cativado, nem tanto pelo lugar, mas pela família que encontrei naquele lugar. 

Não pensei que seria assim, mas foi difícil me despedir. E está sendo, está doendo. Um misto de sentimentos paradoxais, um contraste de reações. É legal voltar, mas não é legal renunciar a uma vida já arquitetada ali. Mas creio que logo as coisas vão se ajeitar aqui [dentro de mim]. Enfim....

Obrigado por tudo pessoal. Obrigado mesmo. 

Agora, #partiu descobrir o que Astorga tem... rs.


















28 de mar de 2013

HB20: Meu primeiro carro

Finalmente, após muita batalha nessa vida, e quase 60 dias de espera desde a compra, chegou meu HB20!

Trata-se do modelo Comfort Plus 1.6, Branco.



Eu realmente não tenho palavras para descrever a minha emoção com isso. Meu primeiro carro! E justamente o carro eleito o carro do ano, vencedor de 5 grandes prêmios na categoria! 

Chegando na concessionária, dia 28/03/13, cerca de 17h30, minhas pernas tremiam, coração disparado! Eu já sabia que ele estaria disponível há 7 dias, e aguentar todos estes dias pela entrega foi muito difícil. Mas pra quem esperou dois meses, o que seria uma semana, não é?

Mas não quero reclamar da demora, pois eu estava consciente disso quando adquiri o veículo.





Na concessionária, todos aqueles procedimentos que até então eu desconhecia: checar documentação, pagar a diferença pelos acessórios (o tapete personalizado, os vidros automáticos [nunca lembro o nome do recurso!], película insufilme, e o tão bem falado banco de couro), e depois conhecer o carro. Retirar a capa dele, eu mesmo, que emoção! Me senti muito tapado, sentia que todos estavam olhando pra mim (e muitos estavam mesmo rs), mas mesmo assim, que satisfação! Começamos conhecendo o porta-malas, e depois o interior do veículo, com atenção especial para o sistema de Áudio, e para o Bluetooth. Eram tantos detalhes, dispositivos, que demorou bastante. Mas pensa que eu liguei??

Saindo de lá, aquele frio na barriga para a primeira pilotagem. Que sensação! Que carro leve, e lindo, e cheiroso, e etc!!!

Me senti um astro pelas ruas de Maringá, sentia que todos olhavam pra mim! E assim foi em todo aquele final de semana de feriado (Páscoa, salvo engano). Que prazer imenso, de realização!

Durante o caminho, e chegando em casa, nova festa! Que alegria.






Bom, estou escrevendo essa postagem bastante tempo depois, e acho que já tenho tempo o suficiente para dar meu veredicto sobre o veículo.. Muitas aventuras, viagens, perrengues, e correrias inclusive. Fora a surpresa dos tapetes [segundo o vendedor, o carro não vem com tapetes... não fabricam mais tapetes de borracha, por questão de segurança, e o comprador tem que pagar a parte por algum dos tapetes de carpê disponíveis], não tenho do que reclamar. O carro é incrível! Econômico, prático, seguro, responde bem na estrada, o sistema de som é sensacional. Na concessionária de Maringá, sempre que precisei fui bem atendido. Já precisei repor peças, e não demorou mais que 10 dias para chegar. Bem menos, aliás. 

Bom, é isso. Estou muito feliz com meu primeiro carro. Grato, sobretudo, a Deus, por me proporcionar isso. E à minha família, e amigos, que tanto me incentivaram e me acompanham em minhas alegrias.



Maria, companhia na primeira noite


Primeiro banho, já no primeiro fim de semana!

Passeio na região de Loanda, nas primeiras semanas.