26 de fev de 2012

**

Então você percebe que você não está sozinho no universo, e que seu universo não se resume a uma bolha. Sim, as pessoas tem problemas. Sim, as pessoas são complexas. E sim, essas pessoas cheias de problemas e complexidades têm que conviver.

Milhares de sociólogos, antropólogos e estudiosos afins já passaram anos e anos observando e estudando o comportamento humano. Será que houve algum progresso?

Sinceramente, não sei. Só o que sei é que somos bem mais profundos do que aparentamos ser, e nossas fraquezas podem ter raízes maiores do que aquelas visíveis aos olhos.

Mas tudo bem, porque todos temos fraquezas. Se compreendermos isso, poderemos também compreender que precisamos uns dos outros para nos apoiarmos, e, enfim, obtermos o suporte necessário para desenrolar esse rolo existencial.

Prestar atenção nos outros e parar de reclamar dos próprios entraves é muito difícil. Porque, se olharmos bem, sempre tem alguém pior que a gente. O duro é que a gente não olha, talvez por medo, orgulho, ou mero comodismo.

Quer saber, amanhã serei uma pessoa muito melhor que hoje. Graças a Deus.

24 de fev de 2012

**

To começando a acreditar em mudanças. Na verdade estou voltando a acreditar em mudanças. Tudo é tão incrível né?

Sentimento é um negócio difícil de compreender. E por quê? Porque cada um sente de uma forma. Acho que é algo muito pessoal, muito subjetivo. Cada indivíduo lê a realidade de acordo com seus próprios padrões. [próprios padrões, oi?]

Pensemos: A forma como as pessoas amam hoje, é a mesma forma como elas se amavam lá no século XVII?? Será que o amor muda?

Acho que não. Acho que quem mudam são as pessoas.

E o que posso dizer é que estou feliz por isso. Não percam o próximo episódio. Boa noite.

23 de fev de 2012

Sal e Luz: como deveria ter sido?

E eu aqui pensando por que minha luz não estava brilhando no local onde fui colocada. Estava decepcionada comigo mesma. Como pode Deus, eu não ter brilhado? Eu me esforcei pra iluminar todo o local o tempo todo, mas não consegui. Eu tentei temperar a vida das pessoas, mas fui rejeitada. Vós sois o sal da terra; e se o sal for insípido, com que se há de salgar?  (Mt:13a)  


Sofrimento. Lágrimas. Frustação. Reflexão. Dúvidas. Lamentações. Onde eu errei? Como deveria ter sido? Não há volta. 

Quando Ele vem com seu imenso amor mostrando que toda minha “culpa” era em vão. 

O sal... [Eu diria o cloreto de sódio rs] Tão poderoso... uma pitada já tem o poder de reverter e transformar qualquer coisa insípida. Imagina então o poder de um “saleiro” todo. Vós sois o sal da terra. Aquele que quer ser sem sabor, repulsa o sal, quer distância, teme ser tocado por ele e envolvido pelo seu sabor. 

A Luz... ahhh a Luz. Pra quem vive nas trevas, pra quem é “trevas”, a luz a constrange, a luz atrapalha, ela incomoda, pois não pode haver escuridão onde há luz. Sim, é por isso que tanto você incomoda as trevas, por isso as trevas tentam fugir de mim, da minha presença e daqueles que levam a minha presença, disse Ele. Tentam derrotar e prejudicar a Luz. Vós sois a Luz do mundo; (Mt 5:14a). Então não pense que você não brilhou. Você, ao mostrar meu brilho, fez “as trevas” a odiarem por fazer dela: nada!!


Por: Bia Zanqui 

21 de fev de 2012

Atrito

No começo é fácil. Você adiciona um punhado de coisas e vai levando, pra ver onde vai dar.

No começo é bem fácil, não há barreiras... é fácil. Fácil demais, não há resistência, e dá pra se movimentar livremente sem maiores preocupações.

[...] Depois de um tempo, as coisas mudam. Surge o primeiro atrito, aparece a resistência. E ela aumenta. E vai aumentando até que.... bom, se torna inconveniente continuar com o negócio.

Hora de desligar o fogo. Tá pronto seu mingau de maizena.

16 de fev de 2012

O VAZIO nosso de cada dia.

Às vezes vejo umas coisas e fico me perguntando: putz, o que a maioria de nós tem na cabeça??

Há um tempo atrás reclamei com uma pessoa: a maioria dos homens só conversam sobre mulheres ou sobre futebol. Não obstante, olhando pras redes sociais de hoje dá pra perceber o quanto as pessoas enchem suas vidas com a paixão pelo futebol, havendo sempre a ardente necessidade de escrachar o time adversário. OK OK, TODOS SABEMOS QUE O CORINTHIANS NUNCA GANHOU LIBERTADORES! Já sabemos, ok? [...]

Fico admirado com a quantidade de fãs clubes que surgem a cada dia, os quais criam verdadeiros cultos irracionais para seus ídolos fajutos, que nem sabem que eles existem. Basta ir ao twitter e procurar por #AmamosLuanSantana, #LSEterno, #Beliebers (Believe + Bieber), Família Restart, Little Monsters (Gaga), RBD e RBR (e suas 1500 variações, quer dizer, 1500 pra cada um dos personagens teens), Neymar Oficial, etc.


Uma certa época, eu ouvia muito Avril Lavigne... até que um dia parei, graças a Deus. Anos depois descobri que existia até uma revista com o nome dela, e que os fãs piravam muito o cabeção com tudo aquilo. Cito a Avril mas isso se estende aos demais ídolos de rock, pop e demais.

Esses dias perguntei pra um amigo o porquê de tantas pessoas venerarem até hoje o Kurt Cobain, um cara que se suicidou aos 27 anos, por não conseguir lidar com seus problemas físicos e emocionais, ou sei lá o porquê. Ele me disse: "Cara, mentes insanas procuram por outras mentes insanas". [=O]

Cara, que loucura! Que INSANIDADE é essa?? Que CRISE DE IDENTIDADE!

As pessoas não sabem mais quem são,  não se valorizam. Não! Elas se anulam, se anulam em prol de qualquer coisa (sim, considero time de futebol e Rebelde como qualquer coisa).

Que falta de amor próprio, falta de perspectiva e de noção de si mesmo!! 

Vejo um grande vazio nas pessoas. Isso que vejo. Não sou nenhum vidente, sou simplesmente uma pessoa que observa e questiona. 

Pra comprovar isso, posto a frase de um dos integrantes do Rebelde BR: 
"@bernardofalcone: É lindo o amor que vocês sentem por mim e pelos meus amigos da novela, mas nunca esqueçam de celebrarem suas próprias vidas!

VOCÊ EXISTE!

Vou dizer mais o que??? Me lembro de uma frase que me marcou muito de um amigo, háum tempo atrás no facebook:  

"As pessoas são tão carentes e vazias de amor que dizem até que amam um time de futebol."

LOUCURA. Onde amos parar? Quais são, quais serão nossas referências??

Revejam. O que está realmente faltando em nós?


6 de fev de 2012

FACEBOOKISTÃO, UM LUGAR PARA CURTIR, por "Marco Polo"




Visitei terras e culturas diferentes. Percorri boa parte do Oriente Médio e da Ásia. Travei contato com diversos povos. Fui um dos primeiros ocidentais a percorrer a Rota da Seda, em busca de um tecido que, ao ser rasgado, se transformasse em elogio. Sou cartão platinum em quase todas as companhias. Por isso, posso dizer de cadeira: não há lugar no mundo como o Facebookistão.


Esse país, de paisagem branca e azul, congrega mais de 800 milhões de pessoas. Um em cada 13 habitantes do planeta vive lá. Dentro de suas fronteiras falam-se algo em torno de 70 idiomas. Não incluindo aí o novo léxico pictórico, tipo \o/ , :) , :( etc.


A população é essencialmente linda, bem-sucedida, de gosto refinado, preocupada com a justiça social, o meio ambiente e os animais. É um povo muito receptivo. Cada pessoa tem por volta de 130 amigos. A maioria só convive mesmo com uns 4 desses 130. Mesmo assim estão sempre abertos a novas solicitações, não sem antes olhar o álbum de fotos do pretendente, é claro.


O ambiente é democrático, apesar de ser uma monarquia absoluta. O monarca, de apenas 28 anos, pode não só fazer as leis, como também excluir qualquer pessoa que estiver, inclusive, andando na linha. Em breve, o rei, como muitos outros governantes, venderá a nação para o mercado financeiro através de um IPO.


Nesse estranho país, protesta-se contra reacionários, insensíveis, fofoqueiros, sertanejos, funkeiros, homofóbicos, racistas, corruptos, fúteis, ditadores, mal-educados. O efeito dessas vozes dentro do território é inócuo, uma vez que ninguém lá possui tais defeitos. É muito comum no Facebookistão as pessoas protestarem também contra a falta de privacidade de seus dados. Poucos têm paciência de ler atentamente as cláusulas que regem o uso das informações fornecidas. Estes preferem usar o tempo para relatar publicamente como anda sua digestão ou expor as fotos da operação de fimose.

A principal atividade é a postagem. Todo dia, a população publica mais de 250 milhões de fotos. A cada 20 minutos, 10 milhões de comentários são escritos, 2 milhões de perfis são atualizados e 1 milhão de links são compartilhados. Que trabalho terão os cientistas sociais do futuro.


A moeda de troca é o like. Trocam-se likes por mais likes. O que no fim das contas não faz a economia produzir valor. A não ser para o monarca, que, com esse intenso tráfego de gentilezas, vende com mais facilidade os espaços publicitários aos anunciantes.


Quando conto essas coisas, as pessoas pensam que estou inventando ou que fiquei louco, acham que é mais uma viagem de Marco Polo.


Enfim, se você se interessou em visitar, saiba que, ao contrário da Europa e dos Estados Unidos, entrar para essa comunidade especial é simples. Basta apresentar seu nome, um e-mail e a data de nascimento. Esses dados nem precisam ser verdadeiros. Entrar é facílimo, difícil mesmo é sair.

Enviado via e-mail por Carol Saes